fbpx
Procurando por algo?

24 alunos apresentaram monografia sobre Libras

Coordenadora Nilza Quixaba (à dir.) faz as orientações iniciais para o primeiro aluno defender seu trabalho

Vinte e quatro alunos do curso de Especialização em Libras e Práticas Pedagógicas Aplicadas à Educação Bilíngue de Surdos apresentaram suas monografias de conclusão de curso na Fundação Sousândrade (FSADU), nos últimos dias 8 e 9.

O curso foi iniciado em outubro de 2017, por meio de educação à distância, nos pólos São Luís, Imperatriz e Caxias, e coordenado pela professora de Letras, Nilza Quixaba.

As apresentações das monografias foram realizadass pelos alunos, com acompanhamento do tradutor intérprete de Libras- Língua Brasileira de Sinais. A diretora-presidente da Fundação Sousândrade, Evangelina Noronha, participou de algumas das bancas examinadoras.

Peixoto: defendendo o protagonismo do professor

O primeiro trabalho a ser apresentado foi o do professor José Peixoto Farias Júnior, que nasceu ouvinte e tornou-se surdo. Seu trabalho foi intitulado “De surdo para surdo, o protagonismo do professor no ensino de L1”. L1 quer dizer primeira língua. Para os surdos, a L1 não é a Língua Portuguesa, como no caso dos ouvintes, mas, sim, a Libras. A orientadora no trabalho dele foi a professora Kélcia Taylor de Carvalho.

Intérprete de Libras acompanhou os TCC´s

 

Na sua exposição, ele defendeu o professor surdo como responsável pela divulgação da Libras, uma vez que o professor é visto como líder e o aluno tem o professor como referência.

“Assim sendo, o aluno surdo vai superar sua dificuldade e desenvolver-se com mais facilidade”, defendeu Peixoto.