fbpx
Procurando por algo?

Seminário Parfor Nordeste discute educação básica

“Educação, Trabalho e o Futuro do Cidadão em uma sociedade em Crise” é o tema da primeira edição do Seminário de Formação de Professores da Educação Básica do Parfor Norte e Nordeste, que começou nesta quarta-feira, 12, reunindo aproximadamente mil congressistas, entre estudantes e professores. A diretora-presidente da Fundação Sousândrade, Evangelina Noronha, e a coordenadora técnica de projetos, Shirley Saraiva, participaram da solenidade de abertura.

As discussões, que agrupam pessoas de diversas cidades maranhenses e do Norte e Nordeste que trabalham com os programas de formação de professores da educação básica para expansão da educação, visam criar espaços alternativos para debates e reflexões críticas permeados por dimensões filosóficas, técnicas, políticas, éticas e estéticas que contribuam com a elaboração e socialização de novos conhecimentos, bem como com o redirecionamento da prática pedagógica em todos os espaços onde haja o exercício da docência da educação básica, principalmente nas escolas públicas do Maranhão.

“As ações da UFMA, ao longo de sua trajetória, vêm conseguindo romper os limites da capital, a partir de seus oito câmpus, situados no continente maranhense, tendo como pilar seu compromisso social perante a sociedade democratizando o acesso ao ensino superior a milhares de pessoas que estavam excluídas do ambiente universitário, dadas as condições objetivas, sobretudo, daqueles dependentes de políticas públicas, a exemplo dos professores em exercício na educação básica da rede pública”, afirmou a Coordenadora de Apoio Especial da Pró-Reitoria de Ensino da UFMA, Helianane Oliveira.

Nesses 10 anos do Programa Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor), já foram formados mais de 43 mil professores da educação básica em todo o Brasil, e mais de 30 mil ainda estão em processo de formação. Só no Maranhão, mais de dois mil professores já foram formados, e 2.332 ainda estão em formação.

O Parfor UFMA atende nos municípios de Monção, Santa Inês, Codó, Lago da Pedra, Lago do Junco, Lagoa Grande do Maranhão, Grajaú, Buriti Bravo, Urbano Santos, Coroatá, Belágua, São Benedito do Rio Preto, Pio XII, Buriticupu, Bom Jesus das Selvas, Sítio Novo, Jenipapo dos Vieiras, Cururupu, Maracaçumé, Governador Nunes Freire, Estreito, Matões do Norte, Santa Luzia, Perimirim e Apicum-Açú, por meio dos cursos de Licenciatura em Pedagogia (18 turmas), História (5 turmas), Educação Física (5 turmas), Matemática (5 turmas), Letras Espanhol (2 turmas), Letras Inglês (4 turmas), Filosofia (2 turmas) e Geografia (4 turmas), totalizando 45 turmas.

Para a reitora Nair Portela, os números são reveladores da magnitude do Parfor e de sua importância para a Universidade. “O compromisso e a seriedade com que os professores e professoras assumem a formação de docentes da rede pública de educação básica nos diversos rincões do Norte e do Nordeste é que fazem o sucesso do programa. Assim, contribuem, efetivamente, para o aumento dos índices educacionais da região, por meio de uma educação voltada para uma cidadania crítica e consciente”, disse.

Atividades como essas ultrapassam os limites do espaço da escola, criando as condições favoráveis para novos espaços de debates, trocas de experiências e conhecimentos. De certa forma, asseguram o direito das crianças, dos jovens e adultos à educação de qualidade, construída em bases científicas, técnicas e éticas, que vão fundamentar as novas práticas pedagógicas nos diferentes espaços de atuação dos sujeitos envolvidos nesses programas de formação.

A coordenadora geral do evento, Mônica Fontenele, agradeceu a presença de todos aqueles que se esforçaram para estar presentes no seminário, aqueles que vieram das mais diversas regiões do norte e nordeste e desejou a todos o êxito pelo evento adiantando a possibilidade de haver uma segunda edição.

Já o secretário de educação do município de Lago do Junco e coordenador técnico da União dos Dirigentes Municipais de Educação do Maranhão (UNDIME-MA), Marcony Pinheiro, falou da relevância que a Universidade tem por meio de programas como esse que tem contribuído para o desenvolvimento do país. “A educação que transforma o mundo e traz bons resultados na vida das pessoas. Em Lago do Junco, tínhamos um IDEB de 2.7. Com a implantação, há quase cinco anos, do Parfor, nosso índice cresceu para 5.2. Ainda não é a nossa meta, mas essa evolução mostra que estamos no caminho certo. Apesar de todas as dificuldades, buscaremos sempre o melhor para os nossos professores e iremos em busca do conhecimento, da qualidade e do aperfeiçoamento de um ensino de qualidade”, afirmou.

Tendo como base o tema da primeira edição, “Educação, Trabalho e o Futuro do Cidadão em uma sociedade em Crise”, a reitora Nair Portela lembrou que é exatamente em momentos de crise, como a que vivemos, em que as Universidades inesperada e inusitadamente são questionadas sobre seu desempenho na missão de educar e preparar para o mercado de trabalho.  “É na construção de um futuro que podemos evitar crises porvindouras, daí a necessidade de realizarmos eventos que dialogam e se preocupam com a educação brasileira, gerando conhecimento à sociedade com base nas iniciativas e nos resultados de suas ações”, frisou.

Fonte: Portal da UFMA