fbpx
Procurando por algo?

Missa na FSADU para o início da Semana Santa

Padre Elinauro Santos presidiu a missa como preparo para o Tríduo Pascal, a mais importante celebração  para os católicos

A Fundação Sousândrade (FSADU) reuniu hoje (12) os empregados para uma Celebração Eucarística como preparo para o Tríduo Pascal que iniciará na próxima quinta-feira (18) e encerrará na manhã do Domingo de Páscoa. A Semana Santa é a celebração litúrgica mais importante para os católicos.

A celebração foi presidida pelo padre Elinauro Santos, que convidou a todos a “desarmar o coração, a tirar as pedras que nos impedem de ir ao encontro do irmão”. Refletindo sobre o sofrimento causado a Jesus Cristo, o sacerdote contextualizou: “Muitas vezes, construímos barreiras em nossos relacionamentos: egoísmo, ódio, vingança, arrogância. Peçamos a Jesus que Ele nos ajude a retirar essas barreiras no trabalho, na família, para que a graça de Deus encontre acolhida dentro de nós”. E seguiu refletindo: “Por que Jesus morreu? Porque praticou o bem. O bem incomoda, porque o bem denuncia injustiça, pecado. O bem ilumina as realidades”.

Após a celebração, a diretora-presidente da FSADU, Evangelina Noronha, pediu a palavra para pedir a benção de Deus para a Fundação. “Peço que os problemas sejam enfrentados com esperança e coragem. Digo a vocês que vida é mudança e que o mundo é transformação. Que nesta Páscoa façamos a reflexão: quem sou eu? O que estou fazendo neste mundo? Qual é a minha contribuição para os outros e para mim?”, disse a presidente.

A superintendente Luciana Cordeiro também deixou sua mensagem de Páscoa: “Estamos aqui para servir um ao outro. Vamos tentar enxergar melhor quem está ao nosso lado e que pode estar atravessando por dificuldades. Vamos ficar em paz com Cristo e com o próximo”.

A celebração foi organizada pela equipe formada pela conselheira da FSADU, Nila Ferreira, e pelas colaboradoras Tereza Nascimento, Consolação Novais e Nara Moraes.

TRÍDUO PASCAL

Quinta-feira Santa
Começa com a celebração da Ceia Pascal, na quinta-feira à noite, em que é feita a memória da grande ceia da despedida, que começa com o gesto do lava-pés.

Sexta-feira da Paixão
Depois da Ceia Pascal, com a celebração da Eucaristia, memória viva do maior mistério do amor de Deus, do sacrifício de Cristo até as últimas consequências, eis que, na sexta-feira, é celebrado o rito sóbrio da morte do Senhor. Naquele dia, a Igreja não tem a celebração da eucaristia, mas convida seus fiéis a olhar, a contemplar o crucificado, Cristo que morre na Cruz.

Sábado Santo
Depois do silêncio do Sábado Santo, em que a Igreja medita e reflete Cristo morto, eis que chega à noite da Vigília Pascal, em que é celebrada a vitória de Cristo sobre a morte, a morte foi vencida e a Igreja vibra e renova a sua fé, a sua esperança numa plenitude vivida de realização que Cristo já semeou, plantou na terra e que nos fins dos tempos se realizará plenamente. A Vigília Pascal conclui o tríduo.

Fonte CNBB: http://www.cnbb.org.br/dom-armando-o-triduo-pascal-envolve-tres-momentos-em-uma-unica-celebracao/