fbpx
Procurando por algo?

Termina hoje o I Simpósio Ciências do Mar

Três professores doutores abrem a programação de hoje, às 10h30, do I Simpósio Ciências do Mar com a mesa-redonda Uso de Geotecnologias para Uma Avaliação Integrada para a Margem Equatorial do Litoral Brasileiro. À tarde, serão oferecidas mais duas palestras: Estimativa do clima de ondas superficiais geradas pelo vento na costa nordeste do Brasil (14h30) e  Politica de Gestão Ambiental portuária: o caso do Itaqui (14h). As  palestras serão realizadas, pela amanhã, no auditório central da Universidade Federal do Maranhão, e à tarde no Parque Botânico da Vale. O encerramento será hoje, às 21h. Amanhã, haverá apenas visita técnica aos Lençois Maranhenses e Alcântara. Veja programação completa aqui

 

O evento, organizado pelo Instituto Ciências do Mar (ICMar), inciou na quarta (30), e tem o apoio da Fundação Sousândrade (FSADU). Entre as palestras, destaca-se a ministrada pelo professor Pedro Leite da Silva Dias (USP) – A Zona de Convergência Intertropical: mecanismos de controle, variabilidade climática natural e mudanças climáticas. Abordando as particularidades do Maranhão, Pedro Dias ressaltou a importância destas discussões, principalmente na Costa Norte do Brasil, onde boa parte da chuva que ocorre na região está associada à zona de convergência intertropical.

“Quando o ar do hemisfério norte se encontra com ar do hemisfério sul, formam-se nuvens que produzem essas chuvas. Daí, precisamos compreender essa mobilidade da zona de convergência: quando ela fica mais ao norte, o clima fica seco; quando fica mais ao Sul, tende a chover”, explicou.

Abertura do Simpósio

O professor disse, ainda, que esse importante conhecimento nos leva a fazer conexão com o futuro. “Houve períodos em que a zona de convergência esteve no centro do Nordeste, ou seja, no atual semiárido, onde chovia bastante. Dessa maneira, buscamos entender os mecanismos que fazem a zona de convergência intertropical se deslocar tanto para o norte quanto para o sul, o que nos possibilita fazer uma conexão com o futuro em função do aquecimento global”, contou.

No aspecto geral do Simpósio, o palestrante buscou motivar os estudantes a desenvolverem estudos que contribuam na resolução de problemas que o mundo enfrentará num futuro próximo.

O vice-diretor do ICMar, Francisco Dias ,disse que o evento é uma abordagem interessante sobre os problemas da margem equatorial brasileira e como as ciências do mar se desenvolvem nela. Sobre o Instituto, Francisco ressaltou as expectativas deste ano em atender 180 estudantes de graduação de várias instituições de ensino superior do país.

“Um complexo de instituições de ensino superior públicas vão ser agraciadas com esse projeto: um laboratório de ensino flutuante. Assim, os estudantes terão um contato prático com as rotinas em operação em alto mar, tanto da parte da engenharia de pesca, como da parte da biologia marinha e também da oceanografia, abrindo novos horizontes para os discentes”, ressaltou.

Já Pedro Dias, pelo foco da missão do ICMar, considerou oportuno realçar a importância desses estudos, para motivar os jovens, porque o mundo está cada vez mais sensível a essa variabilidade climática e a carência de recursos humanos. “Pesquisas e consciência ambiental ainda são insuficientes para enfrentar os problemas que iremos ter que resolver em um futuro próximo”, advertiu Silva Dias.

Ele enfatizou ainda que a Margem Equatorial Brasileira apresenta diversas áreas de relevante interesse ambiental, como áreas de preservação permanente e unidades de conservação de proteção integral, onde atividades exploratórias são proibidas.

“Essa região também recebe atenção pela ocorrência de conflitos envolvendo empresas e associações de pescadores, entre outras inúmeras questões legais relacionadas aos impactos socioambientais decorrentes de atividade exploratória numa faixa com alta sensibilidade ambiental”, concluiu Silva Dias.

Para o estudante de oceanografia da UFMA, Thiago Gomes, a primeira edição do Simpósio vem para celebrar uma importante aquisição do ICMar: o navio-escola.

“O laboratório de ensino flutuante será uma importante ferramenta de pesquisa, principalmente para o curso de Oceanografia, o qual considero complexo para acompanhar somente com aulas teóricas em sala de aula. Essa nova ferramenta nos possibilitará a expansão do conhecimento e permitirá o envolvimento dos discentes com o mercado profissional, aproximando-os da prática na área”, frisou.

PROGRAMAÇÃO DE HOJE

10H30 – Prof. Dr. Denilson Da Silva Bezerra, Prof. Dr. André Luís Silva Dos Santos, Prof. Dr. Márcio Costa Fernandes Vaz Dos Santos
Mesa-Redonda – Uso de Geotecnologias para Uma Avaliação Integrada para a Margem Equatorial do Litoral Brasileiro

13H30
Visita Técnica – Porto do Itaqui

14H30 – Prof. Dr. Rogério Neder Candella
Palestra – Estimativa do clima de ondas superficiais geradas pelo vento na costa nordeste do Brasil

15H00
Visita Técnica – Navio Ciências do Mar II

16H00 – Gabriela Heckler
Palestra – Politica de Gestão Ambiental portuária: o caso do Itaqui

21H00
Festa de Encerramento – Um Mar de Possibilidades

 

*Fonte: Portal UFMA